Antropónimos seta SÁ, Francisco de (?-1531)

Este fidalgo da Casa Real era vedor da fazenda do Porto e terceiro filho de João Rodrigues de Sá, alcaide-mor da mesma cidade, e de D. Joana de Albuquerque da Cunha, filha de Luís Álvares Pais, mestre-sala de D. Afonso V. Francisco de Sá casou com D. Isabel, filha de Álvaro Pires de Távora, senhor do Mogadouro. Era irmão de Garcia de Sá, capitão na armada da Índia de 1518, três vezes capitão de Malaca (1519-21, 1529-33 e 1545) e, por último, governador da Índia (1548-1449). Era primo como-sobrinho do governador Nuno Cunha (1529-38). Em 1497, acompanhou D. Manuel I quando este foi receber a sua primeira esposa, a rainha D. Isabel. Em 1509, partiu a primeira vez para o Oriente como capitão da armada de D. Fernando Coutinho. Em 1509, acompanhou o Marechal no ataque de Calecut. De seguida, foi capitão de uma nau na torna-viagem, tendo encalhado junto aos Baixos de Pádua, onde se perdeu a carga, mas salvou-se a tripulação. Este acontecimento obrigou Francisco de Sá a prolongar a sua estadia na Índia. Participou, ao lado de Afonso de Albuquerque, nos primeiros assaltos a Goa (1510), mas foi um dos capitães que defendeu o abandono da cidade. Depois de algumas quezílias com o Leão do Mares regressou ao Reino, onde recebeu a mercê de vedor da fazenda do Porto, a 6 de Setembro de 1511. Em 1513, tomou o hábito de Cristo. Em 1524, regressou ao Oriente como capitão da armada de Vasco da Gama, com a nomeação de capitão da fortaleza que havia de estabelecer em Sunda. D. Henrique de Meneses, quando assumiu o governo da Índia, indigitou-o capitão de Goa (1525-1526). Na querela que opôs Lopo Vaz de Sampaio e Pêro Mascarenhas, apoiou este último, razão pela qual quando Lopo Vaz assumiu o poder o destituiu da capitania de Goa e o enviou numa armada a Sunda, expedição que viria a fracassar. Quando o novo governador Nuno da Cunha chegou à Índia, Francisco de Sá encontrava-se em Goa. Em 1530, participou na armada de assalto a Diu, como capitão de uma galé. Em Março de 1531, Nuno da Cunha nomeou-o capitão de Cochim. Terá morrido no fim de 1531.

Bibliografia:
LACERDA, Teresa, Os Capitães das Armadas da Índia no Reinado de Manuel I – uma avaliação social, Cascais, Câmara de Cascais, 2009, no prelo. THOMAZ, Luís Filipe, “O malogrado estabelecimento oficial dos Portugueses em Sunda e a islamização da Java” in Aquém e Além da Taprobana – Estudos Luso-Orientais à memória de Jean Aubin e Denys Lombard, Luís Filipe Thomaz (org.), Lisboa, CHAM, 2002, pp. 440-441.

Autor: Teresa Lacerda


  Enviar a um amigo Enviar a um amigo Imprimir Imprimir