Antropónimos seta HOMEM, Garcia

Membro da Casa do infante D. Henrique e genro de João Gonçalves Zarco. Em 1445, participou na expedição comandada por Antão Gonçalves e onde também seguia Diogo Afonso. Esta viagem tinha como missão recolher João Fernandes, que no ano anterior tinha ficado na costa de África para recolher informações sobre os azenegues. Para lá desta tarefa, os capitães das três caravelas deveriam dedicar-se ao comércio e à captura de escravos para viabilizar economicamente a empresa. Depois de fazerem uma escala na ilha da Madeira, seguiram caminho para o cabo Branco, onde Diogo Afonso foi o primeiro a chegar. Aí reunidos, os capitães decidiram ir capturar escravos na ilha de Arguim, onde cativaram 25 nativos. Quando a armada recolheu João Fernandes, este informou Antão Gonçalves da existência de uma cavaleiro mouro, Aude Meilão, que estava disposto a comerciar com os portugueses, trocando nove negros e um pouco de ouro em pó, por um punhado de mercadorias de pouco valor. Este encontro ficou marcado na cartografia com o nome de cabo do Resgate. De regresso a cabo Branco, aprisionaram mais 55 mouros, porém, constatando que não haveria nem espaço para alojamento, nem mantimentos para manter os cativos, estes foram libertados, regressando a armada a Lisboa, directamente de cabo Branco. Em 1446, na Madeira, juntou-se a uma expedição para a Guiné. A armada fez uma primeira escala na ilha Gomeira, nas Canárias, e a seguir, na ilha de Palma, os capitães tentaram «fazer cativos», mas sem sucesso. O navio de Tristão da Ilha e os comandados por Gil Eanes e Garcia Homem regressaram ao Reino enquanto que os demais seguiram viagem.

Bibliografia:
ALBUQUERQUE, Luís de, Navegadores, Viajantes e Aventureiros Portugueses, vol. I, Lisboa, 1987. ZURARA, Gomes Eanes de, Crónica dos feitos notáveis que se passaram na conquista de Guiné por mandado do infante D. Henrique, 2 vols., Lisboa, Academia Portuguesa de História, 1981.

Autor. Teresa Lacerda


  Enviar a um amigo Enviar a um amigo Imprimir Imprimir