Antropónimos seta Navaes O.C., Frei Raimundo de

Natural de Aveiro, chamou-se no século António dos Santos, sendo filho de Miguel Dias Nabais e de Antónia dos Santos. O seu processo de habilitação é aprovado em 10 de Dezembro de 1663 (ANTT, M.54 N81). Professou a 14 de Dezembro.

Passou à Índia e foi governador do bispado de Meliapor, comissário da Bula da Santa Cruzada e examinador sinodal do arcebispado de Goa.

Faleceu indubitavelmente no Convento de Cristo em 3 de Agosto de 1699, como consta do Obituário do Real Convento de Tomar (Rangel de Quadros Oudinot indica que faleceu em 3 de Abril de 1699, crendo que em Goa).

Escreveu as seguintes duas obras, a primeira das quais, segundo Barbosa Machado, se encontrava no Convento de Tomar, e que hoje estão desaparecidas: Vida do grande Servo de Deos Fr.Aleixo Cotrim, Religioso da Ordem Militar de Christo e martyrio de tres Cavalleiros da mesma Ordem, e Compendio de Varoens illustres da insigne Ordem, e Milicia de Nosso Senhor JESU Christo.

Segundo Rangel de Quadros esta última encontrar-se-ia também no Convento de Cristo.

Bibliografia:
DIOGO BARBOSA MACHADO, Bibliotheca Lusitana, v.III, 1752, p.635, JOSÉ REINALDO RANGEL DE QUADROS, Aveirenses Notáveis, I, Aveiro, 2000, p.54-55, MANUEL DA SILVA CASTELO BRANCO, “O Obituário do Real Convento de Cristo de Tomar” in Boletim Cultural e Informativo da CM de Tomar, nº5, 1983, p.195.

Autor: Fernando Larcher


  Enviar a um amigo Enviar a um amigo Imprimir Imprimir