Antropónimos seta GONÇALVES, Diogo

Moço de câmara do infante D. Henrique. Em 1445, partiu na armada capitaneada por Lançarote de Lagos, como escrivão de uma das caravelas. Esteve na tomada da ilha de Tider, regressando à ilha para nova investida tendo capturado alguns mouros. Em 1446, partiu de novo para a Guiné, numa armada que saiu de Lagos com destino à Madeira, onde se juntaram mais duas embarcações. Os capitães foram até à ilha Gomeira, nas Canárias, seguiu depois até 60 léguas para lá do cabo Verde, onde Diogo Gonçalves foi explorar o interior. A armada prosseguiu para a ilha de Arguim depois até ao cabo do Resgate, onde foram capturados 48 escravos. O capitão Estêvão Afonso, em cuja embarcação Diogo Gonçalves seguiu viagem, foi até à ilha de Palma, onde mais uma vez Diogo Gonçalves participou nas incursões ao interior. Mais tarde, Zurara afirma tê-lo conhecido já «nobre escudeiro». Em 1459, um Diogo Gonçalves, criado do infante D. Henrique, era escrivão das sisas de couto da Correlhã. Contudo, não se pode afirmar com certeza que se tratava do mesmo indivíduo.

Bibliografia:
ZURARA, Gomes Eanes de, Crónica dos feitos notáveis que se passaram na conquista de Guiné por mandado do infante D. Henrique, 2 vols., Lisboa, Academia Portuguesa de História, 1973-1981. SOUSA, João Silva de, A Casa Senhorial do Infante D. Henrique, Livros Horizonte, Lisboa, 1991.

Autor: Teresa Lacerda


  Enviar a um amigo Enviar a um amigo Imprimir Imprimir