Pelourinho Manuelino da Vila do Prado
Foto Cátia Carvalho & Nuno Lima
 

Antropónimos seta SOUSA, D. Pedro (?-1555)

D. Pedro de Sousa, 1.º Conde do Prado, era filho de D. Branca de Vilhena e de D. Rui de Sousa (almotacé-mor de D. João II e negociador do Tratado de Tordesilhas). D. Pedro foi senhor de Beringel, alcaide-mor de Beja e membro do Conselho durante os reinados de D. Manuel I e D. João III. Apesar do estatuto preeminente de que gozava no Reino, não enjeitou fazer carreira política e militar em Marrocos. Em Junho de 1514, D. Manuel I fez-lhe mercê vitalícia da capitania de Azamor e, nesse âmbito, concertou esforços com o capitão de Safim, o famoso Nuno Fernandes de Ataíde. Sem que haja explicação cabal para o facto, D. Pedro abandonou o lugar em 1516, recebendo como contrapartida, dada pela Coroa, uma tença vitalícia de 200.000 reais.

Há notícias difusas de que D. Pedro de Sousa voltou a assumir postos de comando em Marrocos durante os primeiros anos de governo de D. João III, primeiro como capitão de Alcácer Ceguer e depois como capitão de Azamor. Em 1525, o Piedoso fez-lhe doação da terra e do título de conde do Prado, apresentando como justificativos da graça concedida os esforços dispendidos pelo fidalgo na luta contra os muçulmanos no Norte de África e o exercício de várias capitanias na mesma região. D. Pedro de Sousa, tornou-se, assim, um dos raros membros da aristocracia portuguesa cujo título se ficou a dever, em grande medida, ao contributo dado ao processo expansionista.

Nos finais da década de 1520, o conde do Prado chegou a ser indicado pelo primo D. Francisco de Portugal, vedor da Fazenda e 1º conde do Vimioso, como a figura mais adequada para assumir o governo do Estado da Índia. A sugestão não vingou, porém.

D. Pedro de Sousa faleceu a 23 de Março de 1555, sem que tivesse voltado a aventurar-se em espaços ultramarinos.

Bibliografia:
FREIRE, Anselmo Braancamp Freire, Brasões da Sala de Sintra, vols. I e III, Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1996. PELÚCIA, Alexandra, Martim Afonso de Sousa e a sua Linhagem – A Elite Dirigente do Império Português nos Reinados de D. João III e D. Sebastião, Lisboa, UNL-FCSH, 2007, dissertação de doutoramento policopiada.

Autor: Alexandra Pelúcia


  Enviar a um amigo Enviar a um amigo Imprimir Imprimir