Antropónimos seta MALOCELLO, Lanzarote

Seria um navegador genovês que terá vindo para Portugal em consequência do convénio assinado, em 1317, entre D. Dinis e Manuel de Pessanha. Deveria capitanear as galés reais, combatendo o corso. Tinha autorização para praticar ele próprio o corso e dedicar-se ao comércio. Antes de 1336, terá ocupado temporariamente uma das ilhas Canárias, mais precisamente a que recebeu o seu nome próprio, onde construiu um forte. Foi o primeiro europeu a dar notícias sobre as ilhas na Europa. No portulano de Angelino Dulcert de 1336 já era possível observar a ilha de Lanzarote, com as armas de Génova pintadas e o nome do seu descobridor bem legível.

Bibliografia:
RAFOLS, Elias Serra, “Lancelotto Malocello en las islas Canárias”, in Congresso Internacional de História dos Descobrimentos. Actas, vol. III, Lisboa, 1961, pp. 593- 610. ALBUQUERQUE, Luís de, “Malocello, Lanzarote “ in Dicionário de História dos Descobrimentos, vol. II, Lisboa, Caminho, 1994, pp. 670-671.

Autor: Teresa Lacerda


  Enviar a um amigo Enviar a um amigo Imprimir Imprimir