Antropónimos seta GIRÃO, João Rodrigues (1558-1629)

Religioso da Companhia de Jesus que trabalhou especialmente no Japão. Nasceu em Alcochete, em 1558 e faleceu em Macau, a 15 de Outubro de 1629. Era filho de Francisco Girão e Beatriz Fonseca. Entrou para a Companhia em Coimbra, a 16 de Dezembro de 1576. Partiu para a Índia a 8 de Abril de 1583, a bordo da nau Santiago. Foi ordenado sacerdote na Índia, a 25 de Março de 1585, e chegou ao Japão em Agosto de 1586. Trabalhou com diversas cristandades nipónicas: estava em Ômura, em Janeiro de 1589, em Kuri, em 1592 e no final de 1600 foi enviado por superior de Kamigyô. Mudou-se depois para Nagasáqui, onde foi secretário da vice-província e companheiro de Francisco Pasio e depois de Valentim de Carvalho; foi, por esta razão autor de várias cartas ânuas da missão nipónica. Abandonou esta função em Dezembro de 1612, tendo passado para a casa de Todos os Santos, onde era prefeito dos estudos da congregação da Anunciada e coadjutor e admonitor do reitor, Mateus de Couros. Em 1612, queixava-se que havia três anos que no Verão padecia de uma doença nos pés como gota. Partiu para Macau em Novembro de 1614, e logo manifestou o desejo de regressar ao Japão, mas permaneceu no porto chinês até à sua morte. Em 1614 enviou, por Gabriel de Matos, cartas para sua irmã Francisca Giroa, que residia em Alcochete, e para António Girão, seu irmão, que morava em Setúbal. Era coadjutor espiritual formado, desde 1599, e bom conhecedor da língua japonesa.

Bibliografia:
COSTA, João Paulo Oliveira e, O Cristianismo no Japão e o Episcopado de D. Luís de Cerqueira, dissertação de doutoramento em História apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 1998 (texto fotocopiado).

Autor: Helena Rodrigues