Antropónimos seta CARVALHO, Domingos

Mercador morador em Macau na primeira metade do século XVII foi Escrivão da Santa Casa da Misericórdia desta cidade em 1600, 1601, e 1608.

Casado, tinha cerca de 53 anos em 1621. Favorável à oficialização da viagem Macau – Manila neste mesmo ano, foi oponente da Companhia de Jesus na «contenda da Ilha Verde».

Em 1625 apoiou a Companhia de Jesus contra frei António do Rosário na questão da eleição do Bispo D. Diogo Valente como Governador do Bispado da China. Encontra-se referenciado na «Lista De La gente Efetiua que Ay Em esta Ciudade Assy, Visinos Como Estrauagantes forasteros E gente De lla tierra» de 1625.

Participou no debate de 1631-1637 sobre o novo tipo de eleição do feitor da viagem imposto pelo Vice-Rei Conde de Linhares, segundo proposta do Desembargador Sebastião Soares Pais.

Integrou a reunião em que participaram os vinte cidadãos mais velhos de 1641 de maior autoridade em matéria de governo.

Caso Domingos de Carvalho corresponda a Domingos Carvalho da Roza, era morador na freguesia de Santo António da referida cidade, e assinou o termo de 31 de Maio de 1642 aquando da aclamação de D. João IV em Macau.

Bibliografia:
PENALVA, Elsa, A Companhia de Jesus em Macau (1615-1626). IDEM, Lutas pelo Poder em Macau (c.1590-c.1660), Universidade de Lisboa, 2005 (tese de doutoramento policopiada).

Autor: Elsa Penalva